quinta-feira, 19 de agosto de 2010

03 > A primeira foto da História... do futuro!


A fotografia é de todo dia...
Alguns deles até formalizados, mas não vêm ao caso listá-los agora.
É certo que o Dia da Fotografia é hoje, 19 de Agosto, e reverencia a apresentação ao mundo, em 1839, do processo fotográfico batizado de daguerreotipia (desenvolvido por Louis J. L. Daguerre, a partir de sua parceria com Joseph Nicéphore Niépce) pela Academia Francesa de Ciências, que, num belo exemplo, adquiriu e liberou a todos, uma espécie de “software livre” de então...
Mas, este foi só o "baile de debutante" da fotografia.
A menina (dos nossos olhos...), a Fotografia, já mostrara sua face a Hércules Florence, aqui mesmo no Brasil, por volta de 1833, fez alguns volteios com Fox-Talbot na Inglaterra e tivera sua primeira imagem fixada pelo próprio Niépce, em 1826, na França (que, aliás, a chamava de “heliografia”, até porque, afinal, sem o Sol não conseguiria fazer...).
Uma foto que ficou para a História e tem sido infinitamente reapresentada ao mundo nestes tempos de reprodutibilidade digital, mostra nada mais que a vista da janela do laboratório do autor.


Niépce, 1826 - Vista da janela em Le Gras

Trazendo um pouco de teoria historicista a esta história, cito Reinhart Koselleck, autor de “Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos” (Contraponto/Ed. PUC-Rio, 2006).
No ensaio “Espaço de experiência e horizonte de expectativa: duas categorias históricas” ele observa que o passado (ou seja, a História) “se prende” em experiências, eventos, enquanto o futuro “se abre” em horizontes, possibilidades. Ou seja, para contar o acontecido pinçamos fatos, momentos, mas não podemos fazer o mesmo em relação ao futuro, apenas imaginamos sua ampla gama de alternativas.

Então, para comemorar e contribuir com a História deste futuro indefinível, fui à janela (ou melhor, à área de serviços, queria incluir o Corcovado...) e fiz uma fotografia. 
É uma tentativa de marcar uma experiência, um ponto na História: quem sabe não será útil a futuros historiadores?

Aguinaldo Ramos, 2010 - Vista de área de serviço, Tijuca, Rio de Janeiro.

E aproveito para um exercício de comparação (que é também algum divertimento...) entre as duas fotos, suas técnicas e suas linguagens:


Foto Niépce - 1826

Foto A. Ramos - 2010
Processo

“Heliografia”
Digital
Câmera

Sony 7,2 megapixel
Superfície sensível à luz
e suporte físico

Betume da Judéia (asfalto) sobre placa de metal
Sensor CCD
sobre cartão de memória
Tempo de exposição

8 horas ao sol
Milésimos de segundo
Processamento

Óleo de lavanda
Automático
Tamanho da imagem
8" x 6.5" (c. 20 x 16,5cm)
2048 x 1536 pixels
(reduzida para 425 x 319)

Disponibilidade
Encontrada por acaso em 1952, entre suas cartas
Imediata, via Internet
 
Seria, simbolicamente, um retorno, o fechamento de um ciclo?......
Talvez sim, talvez nem tanto: só a História do futuro dirá.
---

Mais comentários sobre o tema  na postagem

O dia da Fotografia é... do Historiador!


5 comentários:

Guina Ramos disse...

Via Facebook e e-mails >
Teócrito Abritta > O blog está muito atraente, bem completo em História da Fotografia e das técnicas.
Márcia Martins Olimpio: Bacanérrimo, Guina. Vou compartilhar agora!
Marcelo Argolo: Muito bom! Há até uma similaridade entre as duas fotos...

Guina Araújo Ramos disse...

[vide mais comentários na postagem anterior]
Via Facebook >
Margareth Bravo > Que máximo Guina! As duas fotos são incrivelmente semelhantes, fiquei impressionada. Aproveito para também te parabenizar pelo seu dia!
Paulo Apulcro Fonseca > Há quem defenda a tese de que o Santo Sudário de Turim é uma obra de Leonardo Da Vinci com a impressão fotográfica sobre a superfície de um tecido embebido em sulfato de prata numa câmara obscura. Para quem inventou o paraquedas, helicóptero e outras coisas mais, eu não duvido nada.

Cesar disse...

Meu caro Guina,

Confesse o teu plano maquiavélico: você se mudou para esse apartamento só para poder fazer aquela foto da área de serviço! Ficou medindo as áreas de serviço do Rio inteiro antes de alugar um apê, só pra escolher uma área com vista igual à da janela do Nièpce. Pô, é incrível como tem o mesmo emparedamento criando o ângulo, as mesmas diagonais!

Outra coisa: como você disse lá, a Academia Francesa liberou a tecnologia da fotografia, "numa espécie de software livre de então". Se a gente comparar com a atitude da indústria de tecnologia de hoje, como fica? Cobram por tudo e tudo tem dono. Se eles tivessem feito assim lá no século 19, quais teriam sido as consequências?

Enfim, ideias que me vieram a partir das tuas fotos e dos escritos.

Abraços

Cesar

Guina Ramos disse...

Meu caro poeta/fotógrafo Cesar Cardoso,
quanto à composição da foto, cá entre nós: tudo mera coincidência...
De vez em quando, o universo (ao menos o fotográfico) conspira a nosso favor...

Teócrito Abritta disse...

Parabéns!
Hoje é o dia do Reporter Fotográfico. Aqueles que nos revelam o muito que alguns gostariam de esconder.