quinta-feira, 9 de setembro de 2010

06 > A foto-síntese

O conceito, eu chamaria de foto-síntese.
O Acordo Ortográfico não me autoriza o uso do hífen... Por outro lado, a junção “fotossíntese” tem outro significado, específico, não fotográfico. Fico com foto-síntese porque, pergunto, alguém engoliria, como alternativa, por exemplo, a expressão “fotografia sintetizadora”?...

Então, foto-síntese nada mais seria que (mas, reconheçamos, é muito!...) aquela fotografia capaz de fazer, de ser (para toda uma maioria de observadores) o resumo, o sumário, a síntese (evidentemente simbólica e a mais compacta possível) de algum tema, assunto, evento etc.
(Hum, seria a tal imagem que vale mais que mil palavras?...)

Seja como for, a foto-síntese é uma procura constante do fotojornalista.
As limitações técnicas, nos primórdios da fotografia, e as limitações de espaço em veículos jornalísticos, entre outros fatores, contribuíram para que a foto-síntese se tornasse uma meta (às vezes inconsciente) dos repórteres fotográficos, mais tarde meio que substituída pelo “ensaio”, em especial nas revistas, e mesmo nos jornais.

A proposta de busca de um “momento decisivo”, a la Cartier-Bresson, seria uma derivação (ou, quiçá, a origem?...) da foto-síntese?... Não, acho que dá para diferenciar.
A “foto-momento-decisivo” pode até ser a foto-síntese de uma situação, de uma oportunidade, mas se conforma, sob a direção do fotógrafo, com a sua habilidade e/ou sorte, à geometria do instante.
Já a foto-síntese tem abrangência mais ampla (e que não se limite a escolha a um único fotógrafo...): um contexto, um ciclo, um período, um corpus fotográfico. De certo modo, muito mal comparando, a foto-síntese seria o punctum (a la Roland Barthes) de todo este material...

Como um exercício aplicado à nossa temática, alguns presidentes brasileiros e as possíveis foto-sínteses de cada um de seus governos (são, evidentemente, escolhas arbitrárias, mergulhadas em nuances ideológicas, mas todas sempre serão...).

A foto-síntese de JK, período rico de acontecimentos e imagens (construção de Brasília etc), fica em aberto, poderia até ser a “Me dá um dinheiro aí” de postagem anterior...

            Começo então por aquela que é, talvez, a foto mais reconhecidamente histórica de toda a  Fotografia brasileira. Foi feita por Erno Schneider em Abril de 1961 e publicada apenas em Agosto, quando o governo Jânio Quadros parecia tão indefinido quanto a direção dos seus pés na foto...

Foto de Erno Schneider - “Qual o rumo?” - 21/04/61


Pulemos João Goulart e o seu (até visualmente) confuso mandato e vamos logo à dureza da Ditadura Militar... Ou melhor, como propõe Daniel Aarão Reis, à Ditadura Civil Militar.

Alguns meses depois do golpe de 1964, o fotógrafo Braz Bezerra, do Jornal do Brasil, chegando cedo a uma reunião ministerial no Palácio do Catete, flagra o Mal. Castello Branco sozinho à cabeceira de mesa vazia de ministros, fazendo uma espécie de retrato do momento do país.

Foto de Braz Bezerra - Castello Branco só na reunião ministerial - 30/12/64


Em Dezembro de 1968, após a edição do AI-5, o mesmo tipo de foto, com o mesmo simbolismo, agora muito mais radical, se repete...
Na edição seguinte, a revista Veja publica na capa (autoria e data não são citados no site da revista) uma foto do presidente Costa e Silva sentado, sugestivamente só, em pleno Congresso Nacional.

Costa e Silva sozinho no Congresso - c. Dez/68


Passemos rápido pelos dois seguintes governos militares, Emílio Garrastazu Médici e Ernesto Geisel, deixando para depois a escolha, tarefa árdua, das suas foto-sínteses...
Chegamos, então, à dúbia presidência do Gal. João Figueiredo, período da chamada "Abertura". O presidente militar mantinha os óculos típicos, embora não mais usasse fardas e, sim, ternos. 
A foto de Jair Cardoso como que o desmascara...

Foto de Jair Cardoso - "A origem do poder" -  27/08/81


Qual a foto-síntese do inesperado governo Sarney?... E a de Collor: a de sua saída acelerada do Palácio após o impeachment?... A de Itamar, esta não correria o risco de ser um tanto eroticamente carnavalesca?... Qual a foto-síntese do intelectual Fernando Henrique Cardoso?... E a do operário-presidente Lula?...
Maior a proximidade, mas amplo o universo de escolha.
E mais difusa qualquer certeza...

[Atualizado em  08/09/2012]

7 comentários:

MEMÓRIAS CAMINHADAS disse...

Muito boa a análise teórica e a escolha das fotos da foto-síntese.Você foi brilhante na escolha das fotos que sintetizam, cada uma, intensamente nossa história
O blog está cada vez melhor!!! Fonte de consulta.
Parabéns!!!!
Beijos

Anônimo disse...

Márcia Martins Olimpio > Parabéns, Guina, você escolheu 'a dedo' a foto-síntese de cada um dos presidentes! Que brilhante ideia situar cada período de governo através de uma única imagem. Por favor, comente todos os presidentes. Não pule nenhum! Valeu.
Cleusa Meurer > Esta foto é de mais, estas pernas...!!!!
Mathilde Molla > Não era só as pernas que andavam mal...

Anônimo disse...

Marcos Issa > Tá ótimo o texto, o blog é uma aula de fotojornalismo!! Valeu!
Marcos Vinicio Cunha > É um exercício de síntese em tempos de bla-bla-bla...
Mathilde Molla > Realmente a Foto Sintese é tudo.

Maria Luiza Franco Busse disse...

Maria Luiza Franco Busse > Gosto muito do conceito de foto-síntese e considero que você fundamenta muito bem. As fotos são, efetivamente, foto-sínteses das épocas.
(via e-mail)

Maria Luiza Franco Busse disse...

Há uma foto-síntese para cada recorte. Ou seja, depende da perspectiva com a qual se trabalha o período histórico. Se for cultural, será uma; política, outra, e assim sucessivamente.

Guina Araújo Ramos disse...

Infinitas possibilidades...
Podemos escolher conforme interesses econômicos, posição política, viés ideológico etc
Escolher a foto-síntese de eventos ou temas os mais variados, a Copa do Mundo, as eleições de 2010 etc
Na verdade, minha motivação era justamente levantar este tipo de reflexão que vc explicitou. Ao mesmo tempo, exercitar as possibilidades de síntese.
O melhor é que, qdo escrevi a postagem, em vez de partir destes pensamentos, comecei mesmo pela lembrança de algumas daquelas fotos, por conta de umas conversas sobre a ditadura...

Inês Duque Estrada disse...

Guina, a "Foto histórica no Brasil" está linda. Vou explorá-la bastante. Já mandei para o meu filho, Vicente, que vai adorar. Gostaria muito de conhecer a tua tese. Espero que a gente tenha em breve uma oportunidade.
Grande abraço, Inês (tua ex-colega do JB. Nos encontramos faz pouco tempo na Casa Laura Alvim, lembra?)